quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Bolsa copa? Era o que faltava...

E o "novo" ministro dos esportes, o "comunista" Aldo Rebelo, resolveu apelar para o populismo barato.
"Novo", bem entre aspas, porque ele veio substituir o membro do partido dele, envolvido em um mar de denúncias (vide aqui). Ou seja, a Dilma tirou o acusado e colocou um "amigo dele" no lugar: tirou o foco, mas não está realmente afim de apurar as coisas...
"Comunista", mais entre aspas ainda, pois ele foi o maior defensor dos latifundiários na nova versão do novo código florestal (vide aqui).
Esse senhor, Aldo Rebelo, teve o descaramento de vir a público defender bilhetes mais baratos na Copa do Mundo para quem tem bolsa-família. Pera aí, como é que é? O bolsa-família não é uma pequena ajuda para famílias que não tem o suficiente para sobreviver? Essas famílias não tem nada mais importante para investir do que assistir à um jogo da Copa? Se eles tem dinheiro sobrando para ir na copa, porque precisam MESMO da bolsa? Me poupe, Aldo! Até o populismo tem limites! Que tal lutar para que a FIFA respeite a lei do nosso país e permita que os estudantes e aposentados entrem com meia entrada? Isso sim, faz sentido. Mas sem que o governo repasse à FIFA a diferença, como o governador do RJ teve coragem de sugerir: a FIFA precisa de muito menos grana que o Brasil, e o país já está investindo bilhões nesse evento para a FIFA!
Quer fazer algo decente na área de esportes, Aldo? Primeiro, pare de repassar dinheiro à ONGs ligadas ao seu partido! Depois, que tal cuidar da preparação dos nossos atletas para as Olimpíadas de 2016, como eu disse aqui, já que o pan deste ano foi um fiasco? (vide aqui)
E me poupe de ouvir mais uma ideia "brilhante" como essa, tá, senhor ministro?

Veja também:
- O vexame no Pan 2011
- Olimpíadas no Brasil
- Copa no Brasil
- A saída do ministro Orlando do ministério dos esportes
 - Comunistas e latifundiários, uma união inesperada
- Airton Senna

Nenhum comentário:

Postar um comentário