terça-feira, 10 de abril de 2012

O Brasil é um país capitalista!

O Procon e o Ministério Público são orgãos muito importantes para a defesa dos direitos da população. Mas alguém precisa lembrar esse povo que o Brasil é um país capitalista.
E qual é a primeira lei do capitalismo? É lógico, é claro, é a "lei da oferta e da procura". Ou seja, se um produto tem muita oferta, o preço tende a cair; e se tem muita procura, tende a subir. Quando a procura está baixa, as empresas muitas vezes precisam vender abaixo do custo, para não ficar com o produto ou serviço. Elas compensam isso em momentos de maior demanda, cobrando mais caro. Não é normal, natural? É isso que faz o capitalismo um sistema que funciona, pois faz com que as empresas sempre foquem em atender o que o mercado precisa.
Mas em dois momentos vi ações que não fizeram o menor sentido para mim:
- estão "investigando" os hotéis do Rio de Janeiro porque estão cobrando muito mais caro no período da Rio+20. Ué, o que é que eles esperavam? Que os hotéis, com lotação garantida, cobrassem o mesmo preço que cobram em uma terça chuvosa de agosto? É básico, claro, eles terão uma demanda mais alta, vão aproveitar o momento para ganhar mais. E não há nada de errado nisso, somos capitalistas! Se o governo não quer que o preço suba demais, que crie formas de incentivar a construção de mais quartos em hotéis: é assim que um governo decente evita a subida de preços, aumentando a oferta (PS. no dia 13/06/2013, na Voz do Brasil, o governo ameaçou de forma forte e direta os hotéis que subirem seus preços na Copa das Confederações);
- quando houve a greve dos distribuidores de combustíveis em São Paulo, alguns poucos postos tinha o combustível e aumentaram o preço. Novamente, lei da oferta e procura. Se estava faltando e só eles tinham, talvez seja porque eles aceitaram pagar um valor mais alto para continuar oferecendo o produto, talvez seja porque eles tinham tanques maiores que os outros postos e conseguiram isso porque investiram mais, ou talvez seja porque eles preferiram vender mais caro, para que cada cliente comprasse menos e sobrasse mais para mais clientes. O que tem de errado nisso? Ninguém é obrigado a comprar em um posto, se acha que eles estão caros, não compre lá, uai!
O saudoso Mário Covas falava que o Brasil precisava de um choque de capitalismo. Concordo! Capitalismo de verdade, onde o mercado não é controlado artificialmente pelo governo. Ou alguém aí acha razoável que eu chame o Procon porque um engenheiro quer cobrar da minha empresa um salário absurdamente maior do que ganhava a cinco anos? Isso é mercado, oferta e procura, natural... Alguém explique isso para o Procon e o Ministério Público, por favor?

Leia também:
O Brasil é um país capitalista: a Vale não é da Dilma
A justiça (?) brasileira dá vergonha!
 A lei não é boa e só serve para otários... 
Enfim boas notícias de Brasília
A cracolândia e a hipocrisia dos "bonzinhos"
O estudante, o policial e os valores distorcidos!

2 comentários: