sábado, 22 de setembro de 2012

Eleição em Campinas - votar em quem?

A eleição em Campinas este ano está desesperadora. Não acho que é uma boa opção votar em branco ou nulo: temos sempre que tentar votar, pelo menos, no menos pior. Mas esse ano está difícil.
Acabamos de sair de um escândalo sem precedentes na prefeitura. Escândalo que levou o vice-prefeito, do PT, a ter prisão decretada e o então prefeito, do PDT, a ser cassado.
O PT apresentou um candidato que parece ser culto e com bagagem, o Márcio, um professor da UNICAMP com muita experiência no governo Lula. Mas votar no PT depois de todo os escândalos que acabamos de passar é, no mínimo, dizer que não ligamos para a corrupção. Além do mais, embora a campanha do PT fale em renovação, a verdade é que o PT esteve nos últimos três mandatos de prefeito em Campinas: um como prefeito e dois junto com o PDT. Então, votar no PT é votar no continuísmo e acreditar que desta vez será diferente, parece-me, no mínimo, utópico.
Outro candidato que se apresenta com força é o candidato do PDT, o Pedro. Mas ele era presidente da câmara do prefeito cassado, não dá para agora dizer que ele é tão diferente. Ele tinha forte ligação com o prefeito anterior e continua sendo do mesmo partido. Depois de tudo o que aconteceu, realmente, não tem como votar nele. Além do mais, ele foi o autor da proposta que queria aumentar absurdamente o salário dos vereadores: do lado do povo é que ele não está.
O terceiro candidato é o candidato do PSB, o Jonas. Realmente é muito difícil votar em um radialista. Não porque tenho algo contra a profissão, sou um fã incondicional do rádio e adoro ouvir radialistas inteligentes, como os âncoras da CBN ou os cronistas de futebol. Mas o Jonas faz parte daquele grupo que conseguiu ser eleito só porque era famoso nas camadas populares. Não é muito diferente do fenômeno Russomano. Ele tem apoio do PSDB, que colocou o vice: mas dá vergonha saber que o vice, professor da UNICAMP, está sob muitas suspeitas e é chamado de candidato ficha-suja pelos outros candidatos. E o pior, é ver o PCdoB apoiando a chapa: porque o PCdoB, tão alinhado ao governo PT, mudou de lado? A troco de quê?
Restam candidatos dos partidos bravos e mal-humorados PSTU e PSOL que acham que o salário mínimo deveria ser de R$ 10.000,00 mas nunca explicam como isso seria possível. E os candidatos do PRTB (?) e do PV, sem quase nenhuma expressão.
É, realmente assim fica difícil escolher. Alguém aí consegue me dizer o que é menos pior?

Veja também:
Bola prá frente, Campinas!
Vereadores de Campinas valem ouro!
Pela decência na política campineira: fora Demétrio
o porquê do impeachment em Campinas
A triste política campineira

E também:
Eleição em São Paulo - Haddad é o pior!
Lula considera os paulistanos burros?
Lula + Maluf = Haddad - Erundina: nojo!
Coitados dos paulistanos - é só prefeito ruim!

Um comentário:

  1. É Marcos, sinto que a política não está a favor da região. Ou do país.

    Em Limeira o candidato que era favorito nas pesquisas, Quintal, teve a candidatura cassada, por uma denúncia feita pelo seu concorrente, Eliseu. O concorrente, que se passa agora por bonzinho, fazia parte da bancada do ex-prefeito, retirado do cargo por usar dinheiro público pra benefício próprio. O Kléber Leite, apresentador polêmico, que sempre foi pago pra chingar bandido no noticiário, lembra o Ratinho... funciona como o radialista que você mencionou. Nos sobra o Hadich, delegado civil, defensor da participação popular, que eu diria ser o menos pior, mas ainda acho que o povo vai escolher o vencedor da briguinha que citei no inicio.

    ResponderExcluir